Artigos

Impeachment

02 Nov 2015
Publicado em Artigos

Muito se fala sobre o assunto ultimamente, então busquei algumas informações e compartilho aqui com os Doutores e gostaria de saber a sua opinião sobre o assunto. 

 
Você é daqueles que acha que se a Presidente sair e o Vice entrar vai continuar tudo a mesma coisa? Porque?

  

                   Vivemos em um País tropical, todos sabemos quando entramos na faculdade que teremos de usar terno e gravata e que existe todo um formalismo no mundo jurídico, isso no mundo inteiro, agora, não adianta reclamar do calor.

 
                  Para amenizar isso, alguns Tribunais, permitem a dispensa da gravata apenas, sim, apenas da gravata, pois permanece a calça social e a camisa. Ora, qual a diferença? Sinceramente eu não vejo nenhuma, até porque nas audiências, a gravata e o paletó permanecem. Outrossim, ninguém nunca proibiu um advogado de entrar de calça jeans e camiseta no Fórum para consultar um processo no balcão, então, sinceramente, esses Provimentos que liberam o uso da gravata são uma perda de tempo.
 
                 Ademais, as mulheres devem usar trajes adequados e compatíveis com o decoro judicial, agora me diz, o que é compatível para uma pode não ser para outra, então também, ficamos na mesma.
 
                Deve-se sim ter em mente que o Direito exige um formalismo e que se você não concorda com ele, deveria ter escolhido outra faculdade. Concorda?
 
 
 

Spotify Vida de Advogado

13 Out 2015
Publicado em Artigos

Sim, nós temos uma playlist lá também. Procure e curta. 
 

https://open.spotify.com/user/224lpueq4aeu2dhwvezbnzxui/playlist/0y4vz4AQWY25CoZj6V2AS8

Divórcio

04 Out 2015
Publicado em Artigos

 

 

Sou filho de pais separados, quando tinha mais ou menos oito anos de idade minha mãe se separou de meu pai. Depois de um tempo, através de uma união estável se relacionou com meu padrasto por quem fui criado até a juventude. Depois de quinze anos juntos, novamente adveio outra separação. Depois disso, já como advogado, fiz a separação de dois primos, além de acompanhar a da minha mãe e meu padrasto. Fora tudo isso que acompanhei em minha própria vida, fiz tantos divórcios, separações e partilha de bens que perdi as contas.

Em todas eu sempre procurei conversar com as partes no sentido de elas terem realmente certeza do que queriam. Hoje, tudo ficou mais fácil, as pessoas se divorciam em uma hora. Vejo pessoas que namoraram por anos, noivaram e depois de casados durou menos do que o período de namoro. As pessoas não conversam, parecem que se esquecem de tudo o que passaram juntos, de cada confissão que fizeram um ao outro, cada sorriso, cada prazer, cada risada e choro de anos tudo resumido em poucos minutos, querem se livrar um do outro por um simples pedaço de papel. Mas eu pergunto, será que vale a pena? Será que estamos realmente dando atenção aos assuntos ligados pelo coração? Anos de convivência, valem mesmo a pena terminarem em poucos minutos?

 

Reflita melhor sobre isso, principalmente se você tiver filhos nesta relação.

É muito triste quando uma nação ao invés de andar para frente e cuidar, realmente de assuntos mais importantes, como por exemplo, a cracolândia em São Paulo, os leitos de hospitais públicos, escolas caindo aos pedaços e tantos outros assuntos de suma importância que aparecem na televisão todos os dias, perdem seu tempo em querer definir algo que já está definido há muito. 

Família é amor, e aonde existir amor, não importa a forma desta, será uma família e ninguém mudará isso além de Deus.

Em Defesa a todos os tipos de família.

Pagina 6 de 12

Patrocinadores