Entrevista com a Advogada Ana Mello

11 Ago 2015
Publicado em Entrevistas

 

 

Ana Mello é advogada há 03 anos e escolheu essa profissão por acreditar que os advogados podem fazer algo diferente pelas pessoas. “Hoje em dia acredito que podemos fazer algo não só pelas pessoas, mas também pelas empresas, trazendo melhorias para o serviço que oferecem. ”

Ana atua na área de contencioso de massa, sendo sua atuação voltada à área administrativa do escritório, com enfoque nos correspondentes.

 

Quando indagada se acredita que os correspondentes se dão o devido valor Ana responde que depende. Para ela, “muitos valorizam o trabalho que fazem, colocam preços justos e fazem um bom trabalho, outros por vezes, para não perder o trabalho aceitam por valores ínfimos e com isso trazem um péssimo trabalho, mas por outro lado muitos não conhecem o leque que a correspondência traz, de como se pode fazer disso uma empresa estruturada e competente. ”

 

Algumas perguntas respondidas pela Ana.

 

1) Há escritórios que exploram esse trabalho de forma desonesta e contribuem para a não valorização da advocacia?

Sim, há advogados que aceitam trabalhar como correspondente apenas para “ganhar uma grana” e com isso não apresentam um bom trabalho.Você acha que a nossa profissão esta desvalorizada ou desgastada? Porque?

Os tempos mudaram, e com isso a advocacia mudou, antigamente era vista como uma profissão 100% técnica, hoje em dia o advogado tem que entender principalmente de administração e negociação, por exemplo, não saberão administrar o escritório e sua vida profissional.

2) Há diferenças quando se escolhe um advogado entre a advogada ou o advogado?

Nunca. Hoje temos advogados e advogadas capacitados, e que no mercado de trabalho podem competir a altura pela mesma vaga.

3) Você já deu a famosa “olhadinha no processo” sem cobrar?

Sempre. Não tem como, seja amigo, família, faz parte.

4) Quais são os piores clientes que um advogado pode ter?

Pode ser qualquer que não tenha bom senso e que não valoriza o trabalho do profissional.

5) Como conheceu a existência do Vida de Advogado?

Através do meu chefe. Laughing

6) Qual sua opinião sobre as postagens?

Criativas e o mais legal todos colaboram de alguma forma.

7) Você já passou por alguma situação engraçada ou curiosa na advocacia? Qual?

Trabalhando com consumidor você se depara com muitas situações, em uma certa ação que li na inicial que a autora comprou uma passagem de avião, sendo uma para ela e a outra para seu cachorro, ao tentar embarcar não foi permitido pois animais não viajam em poltronas, a passageira além de atrasar o voo, entrou com ação por descriminação.

 

Sobre o Vida de Advogado: “Tenho certeza que o “Vida de Advogado” foi criado com muito carinho e dedicação, por isso fez tanto sucesso e ainda fará mais, e eu ainda tenho o privilégio de trabalhar todos os dias com seu criador, e também saber que ele aceita minhas sugestões".

 

New layer...
New layer...

Patrocinadores