Renata é advogada há 09 anos e minha amiga de algum tempo e segundo ela, já é advogada há mais tempo do que gostaria, pois só se repara como o tempo passa rápido com esse tipo de pergunta que sempre faço questão de fazer.

Ingrid Baracchini é uma mulher apaixonada pela profissão e pela família, única advogada de uma família de médicos. Sempre teve vontade de cursar Direito e ser advogada, para ela o direito sempre esteve presente em sua vida, apesar de ser filha de médicos. Enquanto todos brincavam de bombeiro, enfermeira e etc eu adorava brincar de escritório e passava o dia carimbando papéis”.

 

 

Em comemoração às 100 mil curtidas da página do Facebook Vida de Advogado e como minha primeira entrevista como Editor do Vida de Advogado, resolvi entrevistar nada mais nada menos que o criador e proprietário do Vida de Advogado.

 

Graziele é a nossa entrevista da semana, tem 38 anos é andreense (Santo André/SP) por nascimento e sul-Caetanense (São Caetano do Sul/SP) de coração, mora em São Caetano do Sul desde pequena, e atualmente exerce o “sacerdócio” como diz, de advogada.

 

Enzo Bergamo, meu amigo e entrevistado da semana é também advogado, se formou em 2010 na Faculdade de Direito de Itu, aonde também se pós graduou em 2014.

 

Nicole Lange de Almeida Pires, atualmente com vinte e sete anos, funcionária pública, concluiu o curso de Direito pela FADITU – Faculdade de Direito de Itu em dezembro de 2013, sendo aprovada no Exame da Ordem dos Advogados do Brasil em junho do mesmo ano com aprovação 9.9, considerada a mais alta naquele ano. Se tornou escrevente do Poder Judiciário em novembro de 2013, ingressando como assistente de sala de Juiz em maio de 2014. Pós-graduada em Direito Processual Civil pela FADITU – Faculdade de Direito de Itu em junho de 2015 e também pós-graduada em Direito Processual Civil pela Escola Paulista da Magistratura em novembro de 2017.  Não poderia deixar de mencionar o orgulho que tenho de nossa entrevistada, uma vez que a mesma além de uma excelente profissional e batalhadora, é minha irmã.

 

Noções básicas de direito, deveriam fazer parte da grade de estudos desde o ensino básico, mas não no sentido jurídico da palavra, e sim levar ao conhecimento das crianças e adolescentes, como exercer o seu direito, lutar por eles e fazer com que o respeitem, e não se esquecer do mais importante, sem invadir a esfera do direito do outro, pois vale lembrar que o seu direito termina quando começa o do próximo.

Objetos Estranhos em Alimentos

24 Mai 2018
Publicado em Artigos

 

De praxe hoje em dia se deparar com situações como esta, é partesde insetos, camisinhas, animais ou até mesmo pedras e afins nos alimentos.

O Judiciário entende que o sentimento de repugnância do consumidor que se depara com algo estranho no alimento, por si só já é suficiente para que uma empresa seja condenada a pagar indenização por danos morais, porém, nem sempre é o que ocorre na prática atualmente.

Patrocinadores